Anúncios
5 de agosto de 2019 Afroempreendedora, venda para todo mundo!

Afroempreendedora, venda para todo mundo!

No chamado “novo capitalismo” só vão lucrar as empresas com propósito e que promovam impacto social, por outro lado, na aceleração de empreendedores da Wakanda, conheci dezenas de mulheres empreendedoras, líderes de negócios que já nasceram com propósito.

Ou melhor, negócios liderados por mulheres cujo propósito é a essência de suas próprias vidas.

Mulheres negras, mães, empreendedoras sociais e culturais, lésbicas, transexuais, jovens, periféricas, mulheres que promovem impacto social desde o momento em que nascem e dão à luz.

Uma coisa em comum nos empreendimentos liderados por esses mulheres é que eles não existem só por/para elas. É sempre pensando na continuidade de seus corpos e suas vidas. Afinal, somos útero do mundo.

Mas como bem disse a Karine, as contas chegam e você não paga a Coelba com o seu propósito, você não bota comida na mesa com propósito. Esses empreendimentos precisam ser financeiramente sustentáveis, por isso, o primeiro dia de imersão já foi direto ao ponto: O seu negócio se paga?

Muitas gaguejaram ao responder, mas na hora de calcular a viabilidade econômica na prática, percebemos que a grande maioria dessas empreendedoras, para não dizer todas, estão apenas trocando dinheiro.

Nenhuma delas se paga devidamente, muito menos lucram com o seu negócio, o que comprova a triste porcentagem que diz que: do total das empresas brasileiras que não lucram, 60% delas é de propriedade negra.

Muitas dessas mulheres até desistiram de prosseguir com o exercício na sala, optando por continuar a fazê-lo em casa, tamanho foi o choque de realidade!

Por aqui, parece que o novo capitalismo ainda não chegou, embora o propósito esteja presente aqui, o lucro ainda não chegou. Por aqui parece que quanto mais propósito, quanto mais tentamos tornar nosso produto ou serviço acessíveis para cumprir o propósito dele, mais tomamos prejuízo!

Por isso, pense duas vezes quando for pedir desconto as empreendedoras negras! E você, afroempreendedora, tatue no seu cérebro a regra número 25 do PowerNomics por Claude Anderson: Compre só de pretos, mas VENDA PARA QUALQUER UM!

Você já viu alguém pedir desconto na Renner? Na Riachuelo? Essa última, por sinal, é de propriedade da família que mais injetou dinheiro na campanha do excelentíssimo chefe do poder executivo. Peguem a visão!

Preta, preto, o seu negócio precisa ser sustentável financeiramente e você precisa se pagar, pagar suas contas, lucrar, reinvestir, expandir e prosperar!

Você precisa pensar na escalabilidade do seu negócio, pensar no dia em que ele será autogerenciável e você vai, finalmente, fazer o que quiser fazer por amor, não por sobrevivência!

Já ouviu aquele papo de renda passiva? Ganhar dinheiro dormindo? Independência financeira? Ter o dinheiro trabalhando para você e poder se aposentar antes dos 50? Nós também merecemos isso!

Por isso, nesse dia 31 de julho, dia da mulher Afrikana eu só tenho um recado para vocês: Não compre de quem vende propósito, compre de quem vive o propósito! E paguem as mulheres negras.

Obrigada!

Anúncios

Amanda Dias

De "apertada" a Coach financeira, há 5 anos dominei minhas finanças e hoje trabalho auxiliando mulheres a também conquistarem sua independência financeira. Meu propósito é ajudá-la na sua jornada de autoconhecimento, identificando e atuando sobre crenças limitantes em relação ao dinheiro. Adoto um modelo de orçamento personalizado que promova saúde financeira, mas também preze pela sua qualidade de vida. O modelo de dinheiro que você tem hoje é resultado de fatores externos internalizados ao longo da sua vida. Você tem o poder de decidir continuar com ele ou substituí-lo por uma programação abundante e próspera. Para mim, a busca por segurança financeira é a principal forma de auto cuidado. “Dinheiro é apenas uma ferramenta. Ele irá levá-la onde você quiser, mais não vai te substituir como motorista.” – Ayn Rand

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: